fernandosoares_13-09-2018

Edições anteriores

Fotos: Gabriel Santos

Valéria e o empresário Guilherme Poli

 

O empresário Ulysses Serra Neto e o primo, médico Evandro Paes Barbosa Jr

 

Milena Palhares Corrêa e o marido, pecuarista, York Corrêa

 

O pecuarista Vinícius Christianini e a esposa, Priscila

 

O pecuarista Vagner e a esposa, Sueli Borges

 

Graziele e o marido, pecuarista, Mauro Christianini Júnior

 

Os pecuaristas, Laucídio Coelho Neto e Arani Barcelos

 

MAIS DOIS ANOS
Reeleito para a presidência da Academia de Direito Público, o conselheiro Ronaldo Chadid, do Tribunal de Contas (TCE/MS), salta de felicidade. Pudera: a sua gestão nesse colegiado de elite revelou-se inovadora e agradou muito.
 

BRILHO
No Prêmio Onça Pintada, um deslumbre a performance do corpo de dança do Ballet Isadora Duncan. Mais uma vez, a companhia dirigida por Neide Garrido se superou e ofereceu um majestoso espetáculo de movimentos, em perfeita coreografia.
 

RAPIDEZ
Em poucas horas após sua abertura, formação de grupo feminino anti-Jair Bolsonaro em rede social multiplicou adesões em ritmo impressionante. Já passava de um milhão o número de mulheres engajadas na rede, algumas horas após sua organização. O nome do grupo é bem objetivo: "Mulheres Unidas Contra Bolsonaro".
 

ESPERANÇA
O senador Waldemir Moka (MDB-MS), candidato à reeleição, aposta suas fichas no eleitorado que se indignou com a adesão de seu concorrente, o ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB), à candidatura do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) à reeleição. Nos cálculos de Moka, esse contingente eleitoral está alojado na multidão de indecisos (cerca de 45%) que ainda procuram um candidato a senador para votar.
 

CAUTELA
 Conselho oportuno e apropriado de insuspeita personalidade política e empresarial sobre os recentes acontecimentos políticos, policiais e judiciais, em Mato Grosso do Sul: não comemorar, nem lamentar. Hora de manter a boca fechada e, se possível, nem mesmo pensar nos senões. A porteira já abriu um par. O outro vem na sequência e, então, não restará pedra sobre pedra.


RECORTES
A candidata a vice-governadora, Tânia Mara Garib - do MDB de Júnior Mochi - dá seu aval entusiasmado à proposta de instituição da Carteira de Habilitação Social. Vê com isso uma credencial efetiva para que famílias abaixo da linha da pobreza abram, ainda mais, as portas do acesso à dignidade.
 

CHATÔMETRO
 Se for feita uma rigorosa filtragem nas redes sociais, para eliminar os chatos e chatices do trecho, o ambiente ficará bem arejado, respirável, saudável. Porém, ou os chatômetros andam desligados ou não suportaram o peso implacável das asneiras que impregnam o ambiente. E, com isso, saem de cena as postagens inteligentes.


AGORA?
Bastou ir à recepção da gaúcha Ana Amélia, candidata de Geraldo Alckmin (PSDB) a vice-presidente, para o senador Pedro Chaves (PRB-MS) sofrer a segunda metralhada em seu Estado. Depois do candidato do PDT ao Governo, Odilon de Oliveira, agora foi a vez do presidente regional do partido. Wilton Acosta, candidato a deputado federal, anunciou que irá expulsá-lo. Chaves desistiu de disputar a reeleição, quando descobriu ter sido enganado pela cúpula pedetista, que lhe havia garantido a candidatura única, sem revelar a existência de outro pretendente na mesma coligação, Beto Figueiró, do Podemos.
 

FITINHA AMARELA
 No Brasil, há um suicídio a cada 45 minutos. Os dados mundiais indicam que ocorre uma tentativa a cada três segundos e um suicídio a cada 40 segundos. No esforço para mudar esses números, a Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu que essa é a semana Mundial de Prevenção do Suicídio.


GALARDÕES
Luciana Rondon da Leparole Livraria consegue calibrar o tempo na sua rotina incansável. E capricha nas postagens preciosas. Como fez agora, ao revelar sua alegria com um duplo presente. O primeiro, ao estrear como artista plástica na exposição conduzida pelas mãos e cabeça talentosas de Pedro Guilherme Garcia Góes, o presidente da Confraria Sociartista. E o segundo, com a investidura na Academia Feminina de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul, a convite da poetisa Delasnieve Daspet.
 

PENSAMENTO DO DIA
"Quebrei a cara várias vezes, sofri muitas vezes, me enganei mais ainda, mas com o tempo eu aprendi que tudo tem sua hora, atrasos são necessários, é claro, aprendi também que pessoas erradas irão passar e ir embora, para que a pessoa certa venha e permaneça."
 

NA LEMBRANÇA
Saturnino Braga completa, hoje, 87 anos. Carioca, ele ingressou na política em 1960, no PSB, pelo qual elegeu-se deputado federal, em 1962. Em 1974, se elegeu senador pela primeira vez, pelo MDB. Em 1982, reelegeu-se pelo PDT, mas saiu para ser candidato à Prefeitura do Rio de Janeiro, sendo eleito com 40% dos votos. Sua gestão foi caótica e Saturnino deixou o PDT e teve até que decretar a falência do município. Ficou fora da vida política até 1996, quando se elegeu vereador no Rio de Janeiro, pelo PT. Em 1998, voltou ao Senado, de onde saiu no fim do mandato, depois de ser impedido de disputar a reeleição. Decretou, então, o fim da carreira. "É melhor sair numa boa do que derrotado", disse, à época.