fernandosoares_05-04-2018

Edições anteriores

Ô LOCO, BICHO!
A Fenasul - Feira de Tradições Gaúchas - que está acontecendo em Campo Grande, no Círculo Militar, até domingo, vem assustando os visitantes. Além de cobrarem R$ 7,00 pela visitação, os produtos por lá vendidos são 4 vezes mais caros do que os vendidos nos supermercados da Capital. Fico pensando numa família simples, que pouca opção de lazer tem... Vamos lá: quatro pessoas… Entre pagar ingresso (R$ 28), almoçar duas costelas grandes (R$ 99,00), cada, e tomar quatro copos de suco de uva (R$ 10,00, cada), lá se vão quase R$ 270,00, por um dia, num lugar simples e que pouca estrutura tem.
 

 

RAZÕES
Versões maledicentes tentam desqualificar os reais motivos pelos quais Ricardo Ayache decidiu desfiliar-se do PSB e deixar de lado a política partidária. Ele não rasgou sua história. Fez, sim, uma opção pela Caixa de Assistência dos Servidores Públicos. E movido por dois fatores determinantes. Primeiro, porque seria humanamente impossível conciliar a presidência da Cassems com os afazeres de um eventual mandato. E também porque, para ser candidato, estavam a lhe exigir uma contrapartida monumental, algo não palatável para quem se recusa a tratar a política como um negócio.

 

 

CLARIVIDÊNCIA
Repercute manifestação breve, concisa e esclarecedora, do douto Luiz Renato Adler, sobre o duelo entre quem apenas defende a Constituição e quem entende ser normal interpretá-la em circunstâncias. No caso, a prisão em segunda instância, que para muitos trata somente do “caso Lula”. Na verdade, envolve milhares de pessoas em semelhante situação, ameaçadas de ser podadas em um direito que está inscrito como cláusula pétrea da Carta Magna. Para Adler, quem conhece a CF jamais se meteria a desfigurá-la com arranjos episódicos.
 

CÉU NUBLADO
Acabaram-se os dias de calmaria na gestão de Paulo Rios à frente da Regional da Funai, em Mato Grosso do Sul (jurisdição Campo Grande). Várias comunidades em aldeias de Aquidauana, Miranda, Porto Murtinho, Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti já estão cobrando sua destituição. Alegam que Rios conhece pouco ou quase nada das demandas dos povos originários. Vai cair no colo de Carlos Marun, o ministro-chefe da Secretaria de Governo de Michel Temer.
 

BLOCO ECONÔMICO
Ontem, o governador Reinaldo Azambuja assumiu a presidência do Codesul (Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul), no lugar do governador em exercício de Santa Catarina, Eduardo Moreira, O Codesul reúne representantes do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, além de Mato Grosso do Sul. A posse se deu em Florianópolis.
 

EM ALTA
Ainda que o Corumbaense não conquiste o bicampeonato no próximo domingo, seu presidente, Bosco Delgado, já é aclamado em Corumbá como dirigente vencedor. É que no ano passado, mesmo com um time que entrou sem crédito na competição, a população foi premiada com o título do estadual de futebol. E agora, com chances de ganhar o bi, o que não falta na cidade é empolgação. Por essas e outras, já tem gente querendo ver Delgado na política. Ele corre longe.
 

 

FAMÍLIAS
Definitivamente, as próximas eleições em Mato Grosso do Sul serão mesmo o palco do protagonismo familiar. São centenas as pré-candidaturas que possuem laços de parentesco com figuras carimbadas da vida pública. Só em Campo Grande, uma família, a dos Trad, deve ter ao menos cinco candidatos. O único fora dessa empreitada em 2018 é o prefeito Marquinhos Trad, que não aceitou entrar na disputa sucessória e vai concluir o mandato em 2020.
 

FAMÍLIAS (II)
Também estão na relação de pré-candidatos: em Dourados, Neno Razuk, filho da prefeita Délia e do ex-deputado Roberto Razuk, e o deputado estadual Renato Câmara, filho do ex-deputado e ex-prefeito Nelito Câmara; em Corumbá, Beatriz Cavassa, viúva do prefeito Ruiter Cunha; em Nova Andradina, a ex-deputada Dione Hashioka, lançada na política pelo marido, o agora ex-prefeito Roberto Hashioka e diretor-presidente do Detran MS. A lista é muito grande.

 

 

VISUAL
Os cabelos longos e exuberantes, marca de Gisele Bündchen, foram deixados para trás. A übermodel exibiu o visual diferente na nova campanha da Vivara, de joias inspiradas na Bossa Nova. Para as fotos, a top posou com um look monocromático e básico de calça e camiseta, madeixas curtinhas e um violão, em homenagem ao estilo sessentinha das mulheres que fizeram parte do movimento musical, como Nara Leão. Em foto publicada no Instagram, com o beauty artist Daniel Hernandez, responsável pela beleza da campanha, Gisele aparece com uma tesoura de cabeleireiro e os fios curtos. O clique foi para brincar com os fãs da modelo, e o profissional logo esclareceu que ela estava usando uma peruca.

 

Fotos: Reprodução

 

 

Fotos: Gabriel Santos

A primeira-dama do Estado, Fátima, e o governador Reinaldo Azambuja

 

O empresário Jaiminho Vallér Filho e a mãe, Lídia Vallér

 

O secretário de Saúde do Estado, Carlos Coimbra, e o presidente da Assembleia Legislativa de MS, Júnior Mochi

 

O secretário de Saúde da Capital, médico, Marcelo Vilela, e a esposa, Ana Mírian Vilela

 

Os namorados universitários, Bruna Furtado e Matheus Chagas

 

O cantor Jerry Espindola, o jornalista Ogg Ibraim e a artista plástica Érica Pedraza

 

Marisa Camargo com Wilma Senne e Rita Barbosa

 

COFRE CHEIO
O prefeito de Sidrolândia, Marcelo Áscoli (PSL), não pode reclamar, aliás, só tem a celebrar a sorte com a atenção que seu município vem recebendo. Em emendas federais e estaduais, só no ano passado, foram liberados R$ 8 milhões. Na cidade que mais cresce em Mato Grosso do Sul, os investimentos em asfalto – alguns iniciados - em breve formarão um imenso canteiro de obras.
 

VEM REBU, AÍ!
Essas mídias sociais...úpois é, em razão de postagens com insinuações maldosas e difamatórios, duas conhecidas personalidades locais agora se tornaram ex-amigos. E nem mesmo a intervenção das esposas apaziguou os ânimos. Resulta que um deles, pra lá de ofendido, decidiu levar a publico uma historinha comprometedora sobre recente passado de seu desafeto, envolvendo trambicagem para auferir verba e favores de poder público. Pior: notificação sobre documentação fraudulenta sustenta a denúncia.
 

NA LEMBRANÇA
O marechal Cândido Mariano da Silva Rondon nasceu em 5 de maio de 1865, na cidade de Morro Redondo, no Mato Grosso. Sertanista, geógrafo e professor, ele fez os primeiros contatos com as tribos de índios isoladas e fundou o Serviço de Proteção ao Índio, em 1911, entidade-mãe da atual Fundação Nacional do Índio (Funai). Um dos grandes artífices da demarcação das fronteiras brasileiras, Rondon também inaugurou o Museu do Índio, junto com Darcy Ribeiro, em Botafogo, Rio de Janeiro, no ano de 1953, com peças doadas pelos bororós. Seu lema inspirador encerra a coluna de hoje. "Morrer, se preciso for; matar, nunca".