fernandosoares_15-09-2017

Edições anteriores

DELINHA, NOSSA ETERNA DAMA DO RASQUEADO

 

 

Fotos: Gabriel Santos

No mês em que a dama do rasqueado completou 81 anos, Delinha tem uma história que se confunde com a de Mato Grosso do Sul. Nascida em Maracaju, onde foi casada com o próprio primo, Délio, a grande dama do rasqueado completa também 60 anos de carreira, este ano. Ao lado do marido, Délio, sempre cantou as grandes belezas, os amores, as esperanças e os costumes desta terra pantaneira, que a transformaram em um verdadeiro ícone e, ainda, influência para muitas gerações de novos artistas locais. Mesmo com seus 81 anos, seu timbre de voz é único, firme e suave ao mesmo tempo. Uma mulher que atrai a admiração por ser guerreira, integra e compromissada com sua arte e com seus compromissos. Até hoje, sua rotina é a mesma: Acorda às 5h da manhã, para ser a perfeita dona de casa e, nas horas de folga, a grande artista dos palcos. Quando formou dupla com Délio, em 1959, um ano depois tornaram-se conhecidos como o casal de Onças de Mato Grosso, e como fruto dessa carreira, lançaram 20 álbuns de vinil com diferentes sucessos, além de 2 DVDs, que até hoje fazem parte das residências do povo brasileiro. E foi para comemorar tudo isso que o filho da cantora, João Paulo Pompeu, recebeu amigos e familiares ao lado da mãe, na velha casinha, como é conhecida sua residência, para brindar os bons momentos da vida, naquele estilo simples e acolhedor que só eles são capazes de proporcionar.

 

Norma Ferreira, a cantora Delinha e João Paulo Pompeu

 

Uma pausa para ouvir a dama do rasqueado com suas histórias encantadoras

 

O jornalista Ciro Oliveira e sua irmã, Lina Oliveira

 

Patrice e o pecuarista Luciano Barbosa

 

A cantora Delinha e o cantor Zezinho Nantes

 

Na maior simplicidade, o churrasco era de primeira linha, feito pelo churrasqueiro Jakson do Nascimento

 

Delinha, até hoje, só escuta suas canções no vinil gravado em 1980

 

A grande dama do rasqueado, embaixadora da Cultura da Capital, Delinha é a maior referência musical viva do nosso Estado, com sucessos consagrados como Antigo Aposento, Por onde Andei, Saudade Vai, Saudade Vem, Prazer De Fazendeiro, Criador De Gado Bom, Chora, Chora, Violão, O Sol e a Lua, Velha Casinha e tantos outros sucessos que misturam verdadeiros poemas da história do nosso Estado, em forma de música. A coluna fez questão de ir brindar com ela seus 81 anos e dividir com você alguns flashes dessa singela receptividade...

 

O duo de músicos, Carlão e Cleonir, amigos inseparáveis de Delinha

 

O professor de educação física, Thiado Mello, e a esposa, fisioterapeuta Andressa Mello

 

Margarida e o radialista Miltinho Viana

 

Tereza Succhy e o advogado José Quirino

 

Edenise e o cantor Nando Sanchik

 

Bianete Rezende, Sílvia Farias e sua cunhada, Elisângela Oliveira

     

TAMBÉM CONCORDO!
O deputado federal Dagoberto Nogueira(PDT) tem feito duras criticas ao governo Temer e uma delas se refere á CCR, empresa que não obedece os contratos estabelecidos sobre a concessão da BR-163. A CCR garantiu R$ 800 milhões junto à Caixa Econômica, fora outros financiamentos confirmados e, mesmo assim, demitiu funcionários e paralisou obras em alguns trechos da rodovia. Diante de tudo isso, o governo Temer ainda tem a capacidade de autorizar um aumento de pedágio acima da inflação. “Infelizmente, vivemos um desgoverno que não hesita em prejudicar a população", afirmou, Dagoberto.
 

ACERTO
Não se pode ignorar a perspicácia do novo diretor-geral do Detran-MS. Roberto Hashioka, político experiente e antenado, chamou para a função de adjunto o ex-diretor do órgão e ex-comandante da Polícia Militar, o coronel da reserva Francisco Libório Silveira, uma pessoa muito estimada, de prestígio e reconhecidamente capaz.
 

SERÁ?
Falando em chamar adjunto, nota-se que o governador Reinaldo Azambuja tem dado oportunidades para os principais nomes limpos de aliados do ex-governador André Puccinelli para integrar seu governo. Deve ser por isso que corre o boato de que André Puccinelli (PMDB) e Eduardo Riedel estariam acertados e seriam os possíveis candidatos ao Senado nas duas vagas existentes, na chapa que Reinaldo Azambuja lançará em 2018, com a sua reeleição.


NÃO ENTENDERAM?
A exposição Queer, cancelada, e que reuniu obras de 85 artistas, incluindo os mundialmente conhecidos como, Alfredo Volpi e Cândido Portinari, no Museu do Santander Cultural, em Porto Alegre, retratando a pedofilia e a zoofilia, tinha como mote a diversidade e as questões LGBT, aos moldes de exposições estrangeiras como a Queer British Art (1861-1967), em Londres, na Inglaterra, e a Hide/Seek: Difference and Desire in American Portraiture, em Washington, nos Estados Unidos. Toda a polêmica causada fez o banco perder mais de 80 mil clientes. Ontem, em Campo Grande, os deputados também questionaram a exposição Cadafalso, da artista plástica Alessandra Cunha, de Minas Gerais, exposta no Marco, onde um de seus quadros retrata cenas de ‘pedofilia e masturbação’, fazendo os parlamentares pedirem o cancelamento da exposição, que termina no domingo.
 

É DEMAIS...
Ontem, o cantor Almir Sater, que reúne, facilmente, 20 mil pessoas em suas apresentações, apresentou sua nova música “No Coração do Brasil”, ao lado do governador Reinaldo Azambuja e outros 1.200 convidados, num dos eventos alusivos aos 40 anos de Mato Grosso do Sul. A nova música, escrita por Almir Salter e Paulinho Simões, foi apresentada num megashow, no Palácio Popular da Cultura. O governador gostou tanto da música que retrata a verdadeira história do nosso Estado, que mandou comprar 7 shows do artista para cantar em diferentes municípios, na semana de 11 de outubro, em que, oficialmente, Mato Grosso do Sul completa os 40 anos. Se, sou eu o governador, daria um show desses para cada um dos 79 municípios. Lindo demais!

 

DICAS
Paulo de Tarso, marqueteiro das primeiras campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva e criador do refrão e mantra petista “Lula Lá”, saboreou as expectativas do PDT guaicuru com as possibilidades eleitorais do juiz federal Odilon de Oliveira, em 2018. A trilha aberta para ele é a da disputa senatorial. Contudo, eventuais mudanças na conjuntura política e judicial podem abrir o horizonte para o jogo sucessório. Vale frisar que, enquanto isso, se robustece a sementinha lançada para brotar o nome do magistrado como vice de Ciro Gomes na sucessão presidencial.
 

LUTO
Fisicamente debilitado pelas consequências do diabetes, mas conseguindo, com bravura, preservar a irreverência e a espirituosidade de sempre, João Pedro Cavassa deixou tristes os corumbaenses e ladarenses, na última terça-feira. Agente tributário estadual, foi um dos maiores e mais comprometidos homens do carnaval e do esporte em Corumbá. Rei Momo, dirigente de entidades, animador e promotor de eventos carnavalescos, Cavassa era membro de uma família tradicional na região.
 

POESIAS
Todas as honras e aplausos à União Brasileira de Escritores (UBE-MS), Prefeitura de Campo Grande e SESC-MS pela realização da 29ª Noite Nacional da Poesia. É evento com lugar garantido na história da afirmação cultural. A edição deste ano terá como palco o Cine Dom Bosco, com homenagens ao poeta Ferreira Gular e a presença da renomada poeta, filósofa, psicóloga e blogueira Viviane Mosé.
 

POESIAS II
Na 29ª Noite Nacional da Poesia, os vencedores do concurso receberão seus prêmios, que incluem valores em dinheiro (R$ 2 mil ao primeiro colocado, R$ 1,5 mil ao segundo e R$ 1 mil ao terceiro). As poesias foram avaliadas por um trio de jurados: a poeta, psicóloga e teatróloga Lígia Prieto; o poeta e escritor Elias Borges; e o jornalista e poeta Edson Moraes. Todos os participantes têm direito a certificados. A UBE-MS, presidida por André Luiz Alvez e tocada por abnegadas mãos e cabeças coletivas, vem fazendo a diferença em favor das artes e da cultura.
 

BEM NA FOTO
O advogado Ilmar Fonseca, o Mamão, que ganhou notoriedade nacional ao participar do BBB 17, aproveita como pode a visibilidade do momento. Um bom sujeito, segundo fãs e até desafetos, que pavimenta o terreno de possível candidatura a deputado em 2018. E topa até alimentar as polêmicas, como a deflagrada recentemente no âmbito de uma disputa sindical, anunciando em tom de ameaça que vai tomar certas providências contra a chapa adversária da que defende. Devagar com o andor.
 

CAMINHOS
O deputado federal e ex-governador Zeca do PT fica mais forte. O arquivamento de quatro processos (três dos quais no caso conhecido como “farra da publicidade”) tira dele uma considerável fração no peso dos desgastes que o açoitaram depois que deixou o governo. Se mesmo antes da manifestação favorável da Justiça seu nome já era um dos mais fortes nas sondagens eleitorais para o Senado, agora se consolida como força diferenciada nas disputas majoritárias. E com um detalhe: seu prestígio não sofreu a contaminação que atinge a sigla.