fernandosoares_31-07-2017

Edições anteriores

BAIXAS
Evaristo Costa despediu-se do “Jornal Hoje” e da TV Globo ancorando pela última vez o telejornal, na quinta-feira, 27. “Muito obrigado pelo carinho por esse tempo todo, e até breve!” após quase 15 anos como rosto do Jornal Hoje, foi com essas palavras que o jornalista Evaristo Costa se despediu das câmeras da Rede Globo. Ficaremos com saudades! O apresentador William Waak submeteu-se a um cateterismo e ficou de molho provisoriamente, e a atriz Carolina Ferraz não terá seu contrato renovado em agosto, após 25 anos de casa e 16 novelas.
 

NA TERRA
O cartunista, escultor e editor gráfico Ique Woitschach conseguiu abrir uma brecha na agenda do Rio de Janeiro e veio matar as saudades da terra natal. Aproveita cada minuto em Campo Grande, visitando amigos e lugares. No roteiro, o agradável bate-papo com a amiga e produtora Mara Silvestre, que o incluiu entre os protagonistas da série de curtas “A Universalidade dos Artistas Sul-Mato-Grossenses”.
 

 

Fotos: Gabriel Santos

A médica Ana Carolina e o advogado Daniel Ribas

 

O casal, Lu Orsi Abdul Ahad e o empresário Jorge Abdul Ahad

 

A médica Rita Tavares e Deise Monteiro

 

A empresária Isa e o pecuarista Miltinho Insuela

 

O pecuarista Joaquim Barbosa e a esposa, Alexandrina

 

A advogada Penélope Del Pino e a médica Adriana Miglioli

 

O pecuarista Cícero de Souza e a esposa, Livia, ele que vem sendo sondado para ocupar o cargo de vice-governador, em uma nova chapa que será montada para 2018

 

ESTANTES
Descoladas andam encantadas (e encantando-se) com a leitura de “32 – Um Homem Para cada Ano que Passei com Você”, da administradora de empresas Isabel Dias. Muito interessante, mesmo, a narrativa autobiográfica de uma mulher que só após o fim de um casamento de 32 anos, e já com 60, redescobriu todas as suas possibilidades de viver, de amar, de dar e receber afeto. E o que tem de sessentonas na área curtindo essa experiência...

 

ESTANTES (II)
A Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, em evento ilustrado por expressivas personalidades da intelectualidade local na quinta-feira passada, com muitos momentos de emoção e júbilo. Um deles foi vivido pelo presidente da União Brasileira de Escritores (UBE-MS), André Luiz Alvez, ao encontrar-se com o escritor Brígido Ibanhes e receber dele uma das obras historiográficas mais importantes do Estado: “Silvino Jacques, o Último dos Bandoleiros”.
 

TV EXCLUSÃO
O Ministério Publico Federal deu 15 dias de prazo para que as emissoras de TV e rádio, com sede em Campo Grande, cumpram os dispositivos funcionais básicos que garantam acessibilidade de todas as pessoas às suas programações. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), 11 das 14 empresas de radiodifusão (som e imagens) não prestam a atenção adequada a públicos com problemas específicos de acessibilidade, como as legendas visíveis, janela de libras e dublagem.
 

TÁ FORA
O ex-prefeito Dirceu Lanzarini, de Amambai, afiança não ter pretensão eleitoral alguma em 2018. Nega que esteja cogitando voltar a disputar uma vaga de deputado estadual e nem mesmo a prefeito em 2020. Está feliz da vida auxiliando o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), de quem é coordenador político em três municípios do Cone Sul: Amambai, Aral Moreira e Sete Quedas.
 

TRAGÉDIAS
A capital de Mato Grosso do Sul anda atordoadíssima. Crimes hediondos ceifando vidas jovens, recordes em acidentes de trânsito, feridos congestionando hospitais... e, não bastasse, o governo, por meio da Secretaria de Educação, resolve encerrar as atividades do Centro Estadual de Línguas (CEL-MS), alegando falta de verbas e desinteresse da população.
 

BRASIL NO MOMA
Do Brasil para o mundo. O Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA) anunciou que, em fevereiro de 2018, receberá a primeira grande exposição da artista Tarsila do Amaral. O comunicado do museu, considerado um dos maiores do mundo, afirma que a brasileira possuía um estilo de “linhas sintéticas e volumes sensuais para representar paisagens e cenas vernáculas em uma rica paleta de cores, além da importante contribuição com o capítulo no modernismo latino-americano”. Essa será a terceira grande exposição de um artista brasileiro em Nova York, em menos de um ano: Lygia Pape esteve no Met Breuer e Hélio Oiticica no Whitney Museum of American Art. A mostra acontece do dia 11 de fevereiro até 3 de junho.
 

JULGAR E JULGAR
Instalada a polêmica em torno da decisão de dois desembargadores que mandaram trocar a prisão preventiva de Breno Fernando Solon Borges por uma internação em clínica especializada no tratamento de doenças psiquiátricas. Filho da desembargadora Tânia Garcia Freitas Borges, presidenta do Tribunal Regional Eleitoral, ele foi flagrado e preso em abril passado levando drogas e munições de armamento pesado.

A decisão dos desembargadores Ruy Celso Florence e José Ale vem sendo tratada por quase toda a imprensa (local e nacional) como um ato de influência e favorecimento corporativista. E este é um “julgamento” feito – sobretudo em mídias sociais - com rigorosa “certeza” na emissão de juízo de valor. O juiz não julga para a plateia, e sim baseado nos autos e na Lei, e aqueles que agora lançam pesadas palavras em ataque à honra dos magistrados não conhecem os autos e, quiçá, nem a lei. Leviandade e iniquidade formar uma opinião com base em dados midiáticos e passar a macular o nome alheio.

O que falta aos julgadores de plantão é conhecer detalhada e apropriadamente tudo que envolve a questão e não apressar-se na formulação de seus juízos, por maiores e melhor justificadas que sejam as indignações.

Primeiro: não houve soltura. A privação de liberdade de Breno está mantida. O preso não foi solto. A diferença é que sua condição de saúde - em doença específica prevista em lei e reconhecida por comprovação médica - impõe assistência especializada e sob comprovação médica pertinente. O dele não é caso único; acumulam-se situações semelhantes de presos em todo país, enviados para tratamento de dependência química e graves transtornos psíquicos, sem prejuízo da pena ou ordem de prisão em qualquer grau.

Segundo: o despacho dos magistrados é essencial e unicamente técnico. Inexiste qualquer artifício ou filigrana em que se possa ajustar um benefício excepcional de cunho corporativo, nem mesmo uma argumentação de apelo afetivo por causa do laço sanguíneo (mãe-filho) entre a presidente do TRE e o custodiado.

Terceiro: quem conhece bem, e de verdade, a desembargadora Tânia, há de saber que se trata de profissional impecável, pessoa digna, escorreita, consciente de sua responsabilidade e que em momento algum rogaria favorecimento ao filho – ao contrário, disciplinadora e rígida em seus princípios, reconhece a gravidade do que o filho praticou e apoia sua punição pelas instituições competentes, ainda que fira sua própria carne e seu próprio sangue.

A responsabilidade individual é de natureza e de envolvimento único, sem prejuízo do afeto e das compreensões coletivas. Mas é responsabilidade individual, não pode e nem deve ser transferida a outrem, ainda que o responsável esteja instalado em laços consanguíneos. Não brinquem e nem fulanizem a dor e a tristeza de quem, por amor e com amor, sendo pai e mãe ao mesmo tempo, tentou dar educação com responsabilidade e bons princípios aqueles a quem gerou.

A dor da mãe, no entanto, é sagrada e deve ser respeitada. Não entra no contexto da manifestação jurídico-judicial. Fica reservada aos confins do sentimento que toca nos reservados do coração e da alma de uma família.

 

DESCANSO
Em razão das férias de julho de boa parte dos campo-grandenses, o titular da coluna aproveita a deixa e retorna com a coluna diária, no próximo dia 10 de agosto. Já que aos domingos, a coluna A Crítica, não será interrompida.