fernandosoares_16-12-2017

Edições anteriores

FOTOS E ARTES - BY LÚCIA BARBOSA

 

 

Fotos: Gabriel Santos

Ela sempre teve um olhar diferenciado para os detalhes e para a pintura. As curvas e as belezas naturais das imagens do chão, mar e do cerrado são inspiração da nova fase da artista plástica Lúcia Martins Coelho Barbosa para sua nova exposição “Para o Cerrado, com Amor”. Também não era para menos, com um curriculum de fazer inveja aos grande artistas, Lúcia fez residência no Ateliê de Azad Nanakèli em Firenze, Itália, e pós-graduação na área de Comunicação Imagem e Som, pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Ela está há mais de 41 anos atuando na área de artes plásticas em Campo Grande e já mostrou suas obras em Portugal, Itália, França, EUA e Japão. As obras, todas exclusivas, em tiragem de 1/1, estão expostas no Shopping Bosque dos Ipês, até 10 de janeiro. As fotografias estão divididas em 4 séries, e 40 fotos/arte, de forma espetacular. Lúcia retrata a construção e o cotidiano, dando nas telas o toque dos traços da pintura, que sempre deu em suas telas. A segunda parede, traz, Chão e o Mar, dando um contraste diferenciado na exposição. “Quero que o público interaja com as minhas imagens, que as pessoas consigam se ver dentro delas, pois através dessas fotografias coloquei minhas emoções e sentimentos com a intervenção de uma fina película de tinta”, disse a artista. Lúcia, que vem de família tradicional no Estado, esta semana reunirá os filhos, no espaço em que está acontecendo

 

Os empresários, Maria Adelaide e o marido, Jorge Noronha

 

O arquiteto Marcelo Oliveira e a artista plástica Daniela Maluf

 

Os artistas, em visuais, Lucas Herculano e o ceramista Mauro Yanaze

 

A artista plástica Lúcia Barbosa

 

a exposição, no dia 21, às 18 horas, para mostrar que, na família, a arte predomina.

A filha, Maria Elvira, que reside no Rio de Janeiro, desembarca para mostrar suas coreografias, um trecho do trabalho de palco, embrio_linha, seguido do outro filho da artista, o internacional chef Paulo Machado, que fará uma espécie de Raw food (comida crua, essencialmente vegetariana) aos presentes, e da outra filha, Inês Berman, que reside em New York, que mostrará uma introdução aos presentes das técnicas, iyengar Yoga. Confira alguns flashes da abertura da exposição...

 

O assessor parlamentar Ricardo Koim e a esposa, cerimonialista, Marisa Machado Koim

 

A terapeuta Ana Lia Moraes e a psicanalista Marilene Kowalski

 

A pecuarista Lacy Coelho e a filha, Lúcia Barbosa

 

 

 

PÁGINAS
Hoje, será lançado o livro ‘101 Reinvenções para Manoel – Um estudo sobre a influência da linguagem do poeta Manoel de Barros sobre a criação literária em MS”. A antologia traz 101 diferentes releituras e pontos de vistas de consagrados e jovens autores sobre o poeta que mais vendeu livro no Brasil e tornou MS conhecido no Brasil e fora dele, através da literatura. Vai ser às 18 horas, na Livraria Leparole. Vamos?
 

AVISO!
Em razão dos festejos de final de ano, a coluna informa que os convites das festas serão atendidos pela ordem de chegada, e as publicações serão feitas na medida dos espaços disponíveis.


ELEITO
É oficial. Sebastián Piñera foi eleito novo presidente do Chile, no 2º turno das eleições, e a partir de março do ano que vem, ele substitui Michelle Bachelet. Piñera, que teve seu primeiro mandato como líder chileno entre os anos de 2010 e 2014, é conservador e venceu com 54,53% dos votos, em disputa acirrada.
 

PARABÉNS, SANTIDADE
O Papa Francisco completou 81 anos no domingo, 17. No Vaticano, datas deste tipo não costumam ser comemoradas, porém o religioso recebeu diversas homenagens entre palavras de afeto e atividades solidárias. Ao aparecer na janela do Palácio Apostólico para realizar a tradicional oração dos Angelus, os fiéis o receberam com um cartaz escrito “Muitas felicidades, Santidade” e gritaram seu nome. Após a missa, Francisco fez uma visita a um centro pediátrico do Vaticano, onde assoprou velinhas em uma pizza de quatro metros, ao lado dos pequenos.
 

FIM DE UMA ERA
Kaká anunciou que vai “pendurar as chuteiras” aos 35 anos, não voltando aos campos em 2018. O jogador, que começou sua carreira em 2001, e no ano seguinte já estava participando do pentacampeonato brasileiro na Copa do Mundo, passou por grandes clubes, como Milan, Real Madrid e São Paulo. A última camisa que defendeu foi a do Orlando City. A nova função do craque deverá ser fora dos gramados, como manager ou diretor de clube.
 

GRANDEZA
Coisa que só os grandes são capazes. O jornalista, radialista, consultor e palestrante Gino Rondon sofreu um acidente doméstico que agravou seus problemas visuais. Acaba de ser submetido a delicada cirurgia, mas sua acuidade visual não será a mesma. Apesar disso, ele não deixou de cumprir os compromissos profissionais e, com hercúleo sacrifício, ministrou cursos de oratória em Campo Grande e Corumbá, mesmo enxergando muito pouco.

 

NA LEMBRANÇA
Há 27 anos morria o jornalista Rubem Braga. Capixaba de Cachoeiro do Itapemirim, ele tinha 77 anos. Escritor e cronista, publicou seu primeiro livro em 1936. Foi correspondente na Segunda Guerra Mundial e escreveu mais de 15 mil crônicas em seus 62 anos de carreira. Uma frase marca a importância do trabalho de cronista: "Os jornais noticiam tudo, menos uma coisa tão banal da qual ninguém se lembra: a vida!".

 

EPIDEMIA
Dois dos grandes males do século, a depressão e as drogas estão provocando tragédias nos diversos lares. Suas vítimas pertencem às diferentes classes sociais, econômicas e culturais. O poder publico está apostando em um instrumento fundamental para combater essas doenças que se alastram e estão na raiz das causas dos suicídios, mortes prematuras, violência, prisões e assassinatos: a prevenção. Mas os órgãos governamentais não fazem a outra lição de casa, que é investir em centros de recuperação.
 

EPIDEMIA (II)
Em Campo Grande, assim como no País, multiplicam-se as ações de recuperação de dependentes químicos, por meio de igrejas e órgãos não governamentais. Fazem o que o poder público não faz, ainda que, como no caso das igrejas, com tratamento espiritual e não por meio de clínica médica. Na cidade, a dependência está arrastando jovens para o mais fundo dos abismos e destruindo famílias. Filhos e filhas de empresários, magistrados, profissionais liberais, políticos e religiosos estão entre os clientes das incontáveis “biqueiras” ou bocas de fumo espalhadas por toda capital.
 

EPIDEMIA (III)
Esta coluna se associa a todas as forças empenhadas em mobilizar a sociedade civil e o poder público na luta para combater e prevenir as desgraças produzidas pelo vício e, sobretudo, para que sejam multiplicados os investimentos em unidades especializadas de tratamento. A dependência química é doença, mas pode ser combatida e curada, sim. Ou pela fé espiritual ou pela adequada assistência profissional, de preferência com apoio da família e das boas amizades.


 

QUEIJO SUIÇO
Se o prefeito Marquinhos Trad (PSD) não der conta desse grave problema urbano, pode ter nos buracos da cidade seu calcanhar de Aquiles. É só checar a fama que foi colada em seus predecessores, Alcides Bernal e Gilmar Olarte, que ganharam até reportagem depreciativa em rede nacional. Talvez por causa disso, o atual mandatário de Campo Grande está mobilizando o que pode e o que não pode na disponibilização de verbas, para dar uma tacada fenomenal. Uma cirurgia-monstro da estética urbana está sendo iniciada. Ou vai ou racha!
 

CHANTECLER
Na falta do que fazer de melhor, o vereador Vinícius Siqueira (DEM) saiu-se com essa pérola, de conferir duas centenas de livros didáticos para saber se os alunos da Rede Municipal de Ensino andam lendo obras de doutrinação ideológica. Pelos critérios com que a patrulha da “escola sem partido” se movimenta, o que não falta para o nobre edil é assunto e protagonismo para “cassar” dezenas de livros e achar esquerdismo até nas cartas secretas de Dom Pedro. Mas que se respeite as ideologias e os critérios que as regem, ainda que alguns iluminados achem ter sido seu canto matinal que faz o sol surgir no nascente.