fernandosoares_16-12-2017

Edições anteriores

NOITE HARMONIZADA

 

 

Fotos: Gabriel Santos

O empresário Beto Pereira recebeu na Cozinha Experimental do Comper Jardim dos Estados, o empresário Victor Manuel Diniz, da empresa Rota do Azeite, importador de 37 marcas, entre vinhos e azeite portugueses, da região em que reside, Trás-os-Montes, localizada ao norte de Portugal. Com menu assinado pela chefe Dedê Cesco, o evento trouxe diversas harmonizações para os amantes de vinho português, que virou a nova onda no mercado mundial. Cerca de 20 comensais foram convidados para o jantar, entre eles, os donos das vinícolas Quinta de Álvares, Paulo Raf e a esposa, Diná, e o sommellier Charles de Carvalho, especialista no assunto e que está no Comper para orientar nas melhores escolhas dos mais de 450 rótulos disponíveis numa adega de um supermercado. Um dos vinhos apresentados era da Quinta dos Castelares, localizada em Freixo de Espada à Cinta, no Alto Douro, em Portugal. Nos seus métodos de produção, esforçam-se em preservar técnicas de cultivo antigas, combinadas com os mais recentes desenvolvimentos na vinificação. A Quinta dos Castelares produz vinhos tintos e brancos. Outro vinho que promete agradar os amantes da bebida é o Fonte do Sapo, em garrafa elegante, com seu liquido rubi, estruturado com sabor de frutas vermelhas e final amadeirado. É um vinho mais encorpado, lembrando aqueles vinhos raros, como um Chateau Lafite Rothschild. Já os vinhos Sonnine, também produzido na região Trás-os-Montes, é leve, refrescante e bem aromado, lembrando frutas maduras frescas e com preço bem acessível aos clientes. Já o vinho do Paulo Raf, Casa Álvares Reserva 2014 DOC Douro, é um vinho que reflete a personalidade do seu produtor. A passagem de 8 meses por barricas de carvalho

 

Os empresários, Paulo Raf e sua Diná, da Álvares Vinicultura, em Portugal

 

A empresária Olga e o marido, advogado criminalista, Renê Siufi

 

Os vinhos trazidos de Portugal pela Rota do Azeite

 

Os empresários, Quirino Picole, José Carlos Franco e Sandro Beal

 

O médico cardiologista Ewerton Carvalho e o advogado Manoel Joaquim de Lima

 

Uma entrada de salada de cuscuz marroquino, com lentilha e legumes, e linguicinha grelhada, assada na brasa, e a combinação perfeita com um Sonnini Rosé

 

Os empresários, Beto Pereira, da rede Comper, e Victor Diniz, da Distribuidora Rota do Azeite

 

francês de primeiro uso dá complexidade aos aromas e ao paladar, na medida. Brilhante e denso na taça, chama logo a atenção por seus aromas que remetem a frutas vermelhas e com um fundo típico dos vinhos do Douro. Na boca, destaca-se sabor elegante e refinado, recendendo a fruta vermelha. Um vinho no ponto. Gastronômico, redondo, evolui muito na taça, revelando novos aromas, e um paladar sofisticado. É muito bom para reunir a família e fazer uma ótima refeição, pois agrada a todos. No Douro Superior, esse tipo de vinho é costumeiramente servido com carnes de caça, como javali, mas com certeza vai muito bem com cordeiro, bacalhau grelhado e outros pratos bem condimentados, como polvo e os demais frutos do mar. A coluna foi conferir de pertinho esse evento e entrega todos os cliques. Confira:

 

Os empresários, Jorge Abdul Ahad e Luís Carlos Feitosa

 

A chef Dedê Cesco foi além da imaginação com a combinação perfeita, dos pratos certos, para o tipo de vinho correto

 

O promotor de Justiça, Renzo, e a filha, Júlia Siufi

 

O Quinta dos Castelares Douro, branco, é a combinação perfeita para uma Paella

 

Quinta dos Castelares tinto e o premiado Fonte do Sapo, são vinhos encorpados combinando com massas, que fazem a diferença

 

 

 

CANJA DE GALINHA
A cautela que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vem tomando para falar sobre sua distância da questão sucessória anda deixando apreensivos alguns de seus principais aliados. A preocupação procede, segundo um deputado estadual da base, porque na entrada do ano eleitoral a cautela excessiva e repetida pode reforçar a impressão de que o governador não tem segurança sobre se disputará a reeleição.
 

ISSO PEGA MAL
A vereadora e enfermeira Cida, que hoje faz parte do Podemos, um partido de centro-direita, até pouco tempo foi militante do PT, em Costa Rica. E como candidata petista a deputada estadual teve mais de três mil votos, uma façanha que nem por isso a fez merecer do partido a pertinente atenção. Não viu outro jeito senão mudar de abrigo.
 

SURPRESA
No quieto – e ela não é mineira, uai – a produtora de conteúdo Mara Silvestre em breve traz mais um de seus imperdíveis documentários. Por enquanto, não revela o tema, porém adianta que trata de realidades culturais e folclóricas da latinidade. É a sua praia, haja vista o belíssimo trabalho sobre a universalidade dos artistas plásticos de Mato Grosso do Sul.
 

TROCANDO FORÇAS
Comoventes e estimulantes as demonstrações de coragem e dignidade de Ari Sandim e Carlão Rezende. Ambos enfrentaram desafios pela vida, que poucos teriam conseguido superar. Um AVC e uma leucemia não derrotaram o ânimo e a incrível resistência dos dois amigos, cada um a seu tempo, para surpreender o mundo e dar a prova da força inesgotável do ser humano.
 

LULALÁ
Em que pese o TRF da 4ª Região ter anunciado que o recurso da defesa do ex-presidente Lula, contra a sentença do juiz Sérgio Moro, que o condenou a 9 anos de prisão, deverá ser julgado já no próximo mês de janeiro, a tendência é que o caso se arraste em mais recursos ao STJ, STF e TSE, ao longo de 2018. Mas Lula tem tempo: segundo o calendário aprovado pelo Congresso para as eleições de 2018, o registro das candidaturas poderá ser feito até o dia 15 de agosto. E os partidos podem pedir a substituição de um candidato que seja considerado inelegível, até 20 dias antes da eleição, marcada para o dia 7 de outubro. Ou seja, o 'dead line' do PT com Lula pode ir até meados de setembro. Depois disso, 'PT Saudações'.

 

VIGILÂNCIA
Ninguém impediu o reitor Fábio Edir dos Santos de patrulhar, minuto a minuto, as sessões da Assembleia Legislativa para a votação da proposta orçamentária, para 2018. O reitor da Universidade Estadual (Uems) levou consigo membros do corpo docente e alunos para defender as reivindicações da instituição. Entre outros avanços, o grupo ganhou a sugestão do deputado Zé Teixeira (DEM) para que cada parlamentar destinasse, no ano que vem, R$ 100 mil em emendas para a universidade, o que somaria R$ 2,4 milhões – quantia suficiente para a aquisição de equipamentos essenciais ao seu funcionamento.

 

SUPERCOLETÂNEA
Promete bombar a noite da próxima terça-feira, 19, na Livraria Le Parole, com o lançamento de “101 Reinvenções – Um estudo sobre a influência da linguagem do poeta Manoel de Barros sobre a criação literária no Estado de Mato Grosso do Sul”. O 101, número do título, refere-se à idade que o poeta completaria nessa data e também à quantidade de autores regionais que compõem a coletânea. A obra foi organizada pelos poetas e escritores Ana Maria Bernardelli e Fábio Gondim – este que, por sinal, lançou com grande sucesso seu instigante “Versos Para Lamber”, na ultima quarta-feira, 14.
 

NA LEMBRANÇA
No dia 16 de dezembro de 1865 nascia, no Rio de Janeiro, o poeta parnasiano Olavo Bilac. Jornalista, ele usava pseudônimos para escrever romances e folhetins popularescos. Fundador da Academia Brasileira de Letras e propagandista do serviço militar obrigatório, Bilac morreu aos 53 anos e deixou esta frase marcante: "A simpatia‚ como o amor, é um sentimento que não raciocina".
 

NA LEMBRANÇA
No dia 17 de dezembro de 1969, morria o ex-presidente Arthur da Costa e Silva, aos 67 anos – a data é controversa, pois há quem diga que ele faleceu meses antes, com o regime militar escondendo sua morte. Um dos ditadores mais ferrenhos da história do Brasil, foi ele quem assinou o famigerado AI-5, em 1968, fechando o Congresso e suprimindo as liberdades políticas. Foi em seu governo que se criou a FUNAI e o Movimento Brasileiro de Alfabetização (MOBRAL). Gaúcho de Taquari (RS), Costa e Silva morou em Campo Grande, onde viveu por 2 anos com a esposa, Iolanda Barbosa Costa e Silva, amicíssima do empresário Ivan Paes Barbosa. Costa e Silva foi ministro da Guerra, de Castelo Branco, e seu sucessor a partir de 15 de março de 1967. Uma frase dele, dita ao chefe da Casa Militar, general Jayme Portella, na véspera da decretação do AI-5, mostra seu caráter repressor: "Eles vão ter resposta. Você é testemunha de que fiz tudo para que atendessem aos apelos para desagravar as Forças Armadas. Agora, vão ver".