fernandosoares_25-08-2016

Edições anteriores

Mais flashes da noite de lançamento dos novos

pratos do Buffet Paladar

   

Fotos: Gabriel Santos

Os noivos, o médico José Kimei e a cirurgião dentista Carolina Fabrís

 

Stella e o marido, advogado Luís Fernando Silveira

 

Os noivos, Frederico Kochhann e a quase psicóloga Deborah Santos

 

O pecuarista Adilson e a esposa, Maria Lúcia Reich

 

Os médicos, Amanda e André Tobaru

 

Os promotores de Justiça, Camila Doreto, Lindomar Rodrigues e Lívia Bariat

 

Wainer Fonseca e Wanda Reich

 

Os cerimonialistas, Marcos e Patrícia Faracco

 

Os empresários, Neuri e Marlise Gasparetto

 

O médico ortopedista Bruno Petinari e a noiva, advogada Milena Rúbio

     

Seja bem-vindo
Campo Grande está pronta para se tornar, nesses 117 anos, uma Capital de classe. Ao longo dessa sexta-feira será excelente anfitriã para os mais de 800 mil habitantes em sua festa de aniversário. É inegável, é incontestável, é insofismável que nossa Capital agora caminha a passos largos para o pleno desenvolvimento econômico e social, abatendo pelo meio do caminho as desigualdades que nos envergonharam pouco tempo atrás, uma herança maldita que vimos conseguindo banir da história desta cidade a cada etapa que completamos. Neste cenário, carecem de modernização os aparelhos legislativo e judiciário que, por razões às vezes plausíveis, outras ininteligíveis para o comum dos mortais, teimam em evitar o avanço inexorável de um povo que quer a sua carta de alforria desenvolvimentista para livrar- se das tutelas mesquinhas dos antigos currais eleitorais e dos coronéis do cospe grosso. Ainda não temos muito a comemorar, em razão das perdas sofridas com “golpes políticos”, que atrasaram seu desenvolvimento por irresponsabilidades de empresários e vereadores, com alguns políticos até presos. Mas, aos poucos, o prefeito Alcides Bernal vai conseguindo recuperar esta cidade de ruas largas e arborizadas, eliminando as falcatruas ora existentes e viciosas das gestões passadas e transformando Campo Grande na cidade em que todos sonham viver, como a Morena capaz suficientemente de fazer frente a qualquer Capital brasileira.

 


Pensando bem...
Não há Câmara que leve a sério, como deveria, a outorga de títulos de cidadania. Basta ver as safras anuais de homenageados e homenageadas. Tem joio demais nesses trigais. Bajulação, demagogia e permutas inconfessáveis estão entre os “critérios” na hora em que homenageadores – salvo as exceções – escolhem seus homenageados. Pior: a Câmara faz a entrega anunciando ser homenagem oficial da população. Cruzes!
 

Beira-trilhos
Será dia 24 de setembro, em Portugal, o lançamento de “Tocos Para o Fogão de Lenha”. De autoria do professor e escritor Gilmar Fernandes Martins, o livro está sendo aguardado com grande expectativa, especialmente pelos pantaneiros e por quem viveu os áureos dias da estrada de ferro da NOB.
 

Beira-trilhos II
Com prosa e poesia, a obra de Gilmar Fernandes Martins é inspirada em cenas da infância do fotógrafo corumbaense Marcos Boaventura, que quando criança ele e a família esperavam, à beira dos trilhos, a passagem do trem que ia para a Bolívia. Os viajantes davam de presente à sua família tocos de angico, madeira de largo uso doméstico. O livro faz parte da coletânea “Entrelinhas”, organizada pela Pastelaria Studios Editora, e reúne 51 autores brasileiros e portugueses.
 

Preconceito e ciumeira
Toma conta das crônicas especializadas o absurdo cometido pela Globo, que na novela “Sol Nascente” limitou ao máximo a presença e o protagonismo de atores orientais. A história focaliza a saga de famílias japonesas que escolheram o Brasil para morar, mas seus principais personagens são vividos por brasileiros, caracterizados com os traços nipônicos. Há atores e atrizes orientais qualificados que atuam e já atuaram em várias produções globais, como a nissei Tatiany Furuse e os chineses Chao Chen e Chan Suan. Além do preconceito, especula-se que a decisão de restringir os orientais foi direcionada por influência de certo diretor. Carol Nakamura é uma das exceções no elenco.

 

Xô, boataria!
A fonoaudióloga Pollyana Caetano sofre, e muito, com boatos maldosos sobre as causas da morte de seu pai, o corretor e empresário Ademílson Rocha, que era dono da Agência de Notícias SBC. Ele estava em Paranhos, hospedado na casa de um amigo, o vice-prefeito da cidade. Na manhã de 28 de julho último, o anfitrião foi chamá-lo para tirar o carro da garagem, mas ele não respondeu. Rocha era hipertenso e havia sofrido um infarto fulminante.
 

Articulista
Vale um brinde: Heitor Freire comemorou no início da semana a marca de 300 textos publicados em seu web site. “Foi um grande aprendizado, eu não sabia que podia escrever tanto e de forma clara e objetiva”, exultou. Já lá se vão mais de seis anos desde o primeiro artigo que fez, com o título “Da Incontinência Verbal”.

 

Pai-pai
O jornalista Montezuma Cruz derrete-se com a filharada. E tem razões de sobra. Vale, de vez em sempre, um registro com seu primoroso texto, como fez para saudar a filha Ana Terra, uma rondoniense que fez Letras na Universidade de Brasília e viaja o mundo. Também é escritora. Com Débora Diniz escreveu “Plágio – Palavras Escondidas”.
 

A bela fera
O Facebook está sofrendo uma ação judicial por parte de Luíza Brunet. A diva das passarelas quer identificar as pessoas que andam postando ofensas e piadinhas de mau gosto para desqualificá-la, desde que prestou queixa-crime e tornou públicas as agressões que sofreu quando estava vivendo com o milionário Lírio Parisoto. Ela está decidida a não deixar mais nada barato em sua vida.
 

Todos iguais
Norma Angélica Reis Cardoso Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Publico (Conamp), está na linha de frente do movimento que cobra o fim do foro privilegiado. E a pedida é por uma medida ampla, que não livre ninguém. Se for para acabar com o foro privilegiado, que seja para todos os ocupantes de funções públicas.
 

Reflexo
O PT é o partido brasileiro que paga o preço mais elevado em consequência de estrepolias de militantes graduados. Nestas eleições, o número de candidatos petistas às prefeituras, vice-prefeituras e câmaras de vereadores caiu 47,2% em relação a 2012.
 

Gazeta remunerada
O povo? Ora, o povo... Assim deve ser o olhar social e conceitual do deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), que não apareceu em qualquer sessão da Câmara no primeiro semestre deste ano e, mesmo assim, recebeu integralmente a remuneração a que tem direito. Entre salários e verbas de custeio, como passagens aéreas e aluguel de carro, foram mais de R$ 200 mil. Ele fez uma cirurgia na coluna e se licenciou em abril, mas antes disso não havia comparecido a nenhuma das 36 sessões em que deveria votar. Vale registrar: Gomes é um dos denunciados no STF, por corrupção, pela Operação Lava Jato.
 

Alegrias de sobra
O sorriso do professor Carlos Alberto Rezende, conhecido como Carlão, de 52 anos, voltou a brilhar esta semana, depois de encontrar um doador de medula óssea 100% compatível com a dele. Ele luta com a leucemia há mais de um ano. O banco de doação de medula óssea avisou ao médico de Carlão e o transplante será feito no hospital referência de Jaú, em SP.
 

Aviso
Em razão do aniversário de Campo Grande, amanhã, a coluna retorna na segunda-feira.